Esporte

UFC 147: competição de MMA é marcada por protesto de evangélicos e demonstração de fé dos atletas

Micael Batista | Publicado em: 27/06/12 às 20:15 Atualizado em 13/05/2019 07:13
UFC 147: competição de MMA é marcada por protesto de evangélicos e demonstração de fé dos atletas
(Foto: Reprodução)

No último sábado a cidade de Belo Horizonte foi palco do UFC 147. Na capital mineira a competição de MMA, considerado por muitos como um esporte violento, foi marcada por protestos de evangélicos e demonstração de fé dos atletas.
Apesar da discussão sobre a violência levantada pelos evangélicos, segundo o GPrime, muitos atletas manifestaram sua fé durante o evento esportivo. Wanderlei Silva que perdeu a luta para o americano Rich Franklin, se ajoelhou e orou antes de subiu ao octógono.
Evangélico, o lutador Rodrigo Damm também fez sua demonstração de fé no evento, Damm usou a música “Nuvem de Glória” de Fernanda Brum como fundo musical para subir ao octógono, para a luta na qual derrotou Anistávio Gasparzinho. Ao final da luta o pugilista, que tem a palavra “missão” tatuada no peito, fez ainda uma oração de agradecimento: “Obrigado Senhor, obrigado Deus, meu nome é missão”.
A tatuagem do lutador é uma referência à igreja capixaba Missão Praia da Costa, da qual ele faz parte.
De acordo com o Terra, Silva criticou a postura dos evangélicos em relação ao evento e destacou a importância de se protestar sobre assuntos mais relevantes. “Tem que fazer protesto contra crack, não contra esporte. Não tem que fazer protesto nenhum contra o MMA. Nós vivemos disso, representamos uma massa e temos muitos fãs e admiradores. O esporte é a salvação”, afirmou o lutador, que ressaltou ainda o crescimento do esporte no Brasil e destacou o lado humano a luta: “o MMA está crescendo muito no Brasil. Aqui o pessoal sempre gostou de luta, mas não tinha muito acesso. A gente mostrou que por trás do lutador tem um pai, um filho. São pessoas que correm atrás do sonho como todo brasileiro”.
O diretor de Desenvolvimento Internacional do UFC, Marshall Zelaznik, afirmou que essa não foi a primeira vez que enfrentam problemas com grupos religiosos por causa do esporte. “Já tivemos que enfrentar protestos. O Wanderlei estava lá na Alemanha. São coisas para quais nós estamos preparados. Não temos que discutir com ninguém e não teremos problemas no Brasil, um país que tem tradição no MMA”, afirmou, lembrando o primeiro UFC na Alemanha quando, revoltados com a chegada do evento no país, religiosos alemães protestaram contra a violência do MMA.
“Sempre vai ter esses protestos. Mas agora é nossa onda”, destacou o lutador Maurício Shogun. Ele ainda comparou o MMA ao futebol e ao hóquei, e afirmou que se trata apenas de mais um esporte de contato.
Fonte: Gospel+

 

 

Cantora gospel diz para família de adolescente estuprada por pastor que ela “gostou”

A cantora que é de Cuiabá teria se deslocado até Poconé apenas para chantagear a família da vítima, logo que soube da denúncia contra o pastor.


Pastor que defendia “cura gay” tem conta do YouTube bloqueada

A conta do pastor no YouTube tinha 1,8 milhão de assinantes antes de ser bloqueada. Ele disse que irá recorrer da decisão.


Após pressão da igreja, Governo recua e libera cultos religiosos em SP

Com isso, a Carreata Da Fé, movimento organizado pelas lideranças da ADSA Brasil, está oficialmente cancelada.


Grupo Gay de Alagoas irá mover ação contra pastor após comentário sobre Paulo Gustavo

Nildo Correia, presidente do (GGAL), disse que o Ministério Público e a Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas serão acionados.


Elaine Martins pede perdão por ter gravado vídeo ao lado de Jairinho

A cantora gospel gravou um vídeo no ano passado ao lado de Jairinho apoiando a sua candidatura para vereador.