Polêmicas

Marco Feliciano quebra o silêncio e defende Silas Malafaia sobre denúncia do MP

Após ser indiciado por envolvimento em um "roubo" de 1,6 milhão de reais, o deputado Marco Feliciano saiu em defesa de Silas Malafaia

Micael Batista | Publicado em: 05/02/19 às 10:46
Marco Feliciano quebra o silêncio e defende Silas Malafaia sobre denúncia do MP
Pastor Marco Feliciano (REPRODUÇÃO)

O pastor Silas MalafaiaEduardo Paes e demais réus estão sendo acusados de improbidade administrativa nos contratos envolvendo a marcha para Jesus, pelo fato de 1,6 milhão serem destinados ao evento que reúne milhares de cristãos de diversos lugares deste país.

No dia 24 de Janeiro foi divulgada a decisão da juíza Mirela Erbisti, da 3ª Vara da Fazenda Pública do Rio de Janeiro. A juíza fez uma declaração sobre o pastor, dizendo que o mesmo havia se aproveitado da situação de forma imprópria.

+Por onde anda Thalles Roberto, e qual a sua estratégia para voltar ao topo da música gospel

O pastor e Deputado federal Marco Feliciano se posicionou contra a situação do seu irmão na fé, e disse que o pastor só está sendo indiciado pelo fato dele ser um homem que não mede suas palavras.

Marco Feliciano fez uma declaração que da mesma forma que o pastor conseguiu provar sua inocência em demais casos, sairá mais uma vez impune desta. O deputado falou ainda sobre a decisão da juíza, que foi uma pura canalhice porque Malafaia é conhecido internacionalmente e nunca foi visto como “ladrão” por ninguém.

+Lauriete ignora Magno Malta nas redes sociais e fãs suspeitam de crise

Afirmou que todos os gastos do evento em 2012, foi passado para os responsáveis legais, e Malafaia ficou indignado pelo fato de cobrarem tanto de uma coisa que outrora existiu, sendo que os demais eventos como a parada gay e escolas de sambas não recebem esse tipo de cobrança, ou pressão.

“… Até quando, nós envagélicos viveremos como abutres?… Abutres são aves que cisca a carniça e que fica esperando a morte para se alimentar dela”, declarou Marco Feliciano.

Pastor Silas Malafaia vira réu em processo de improbidade administrativa

Pastor Silas Malafaia (Reprodução)

O pastor Silas Malafaiamais uma vez está no centro de uma polêmica e virou réu na ação de improbidade administrativa no qual o ex- prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes foi  denunciado pelo Ministério Público.

Segundo a denúncia, a prefeitura aplicou, sem licitação, R$ 1,6 milhão no evento religioso “Marcha Para Jesus”, em 2012.

+ No Instagram, Kleber Lucas parabeniza esposa pelo seu aniversário e detalhe chama atenção

Nessa quinta-feira (24), foi divulgada a decisão de 10 de janeiro da juíza Mirela Erbisti, da 3ª Vara de Fazenda Pública do Rio, que recebeu a acusação feita pelo Ministério Público.

Sobre Malafaia a juíza declarou:“teria se locupletado com o evento, eis que era presidente e representante legal da Comerj, esta a beneficiária direta do ato ímprobo”. “Promovendo seu nome pessoal e a associação, concorreu ainda para o gasto aparentemente irregular do município”.

O pastor Silas Malafaia está indignado com a decisão da juíza e disse  se tratar de uma “perseguição religiosa”, que a verba só foi liberada depois que a programação do evento foi apresentada, que a Marcha Para Jesus foi realizada para promover a paz e que todos os documentos e notas do evento foram apresentados.

+ Crise? Fernanda Brum é processada pela segunda vez por não pagar aluguel

Malafaia a qualquer momento irá liberá um vídeo em suas redes sociais explicando que está sendo vítima de perseguição contra a Marcha para Jesus, pois a Juíza não aceita que o evento seja patrocinado pela prefeitura, e pediu para que as pessoas compartilhassem o vídeo pois ele irá explicar que tudo não passa de uma perseguição religiosa vergonhosa.

 

Família do Irmão Lázaro convoca evangélicos para jejum em prol da cura do cantor

Os últimos exames do músico constataram que houve uma redução na inflação do pulmão. Entretanto, a sua situação ainda é muito delicada.


Pastores de Pernambuco farão carreata para protestar contra decreto estadual

O decreto do governador Paulo Câmara (PSB) não reconhece as igrejas como serviço essencial.


Pastor é afastado após sugerir que mulheres emagreçam para os maridos

O religioso também pediu para as mulheres se submeterem aos desejos sexuais de seus maridos para que eles não "desviem".


Pastor sofre AVC durante confusão na Assembleia de Deus

A confusão aconteceu no decorrer da eleição para a nova diretoria da Assembleia de Deus Missões, em Campo Grande.


Pastor defende fechamento de igrejas e pede bom senso aos fiéis

O religioso disse que o fechamento das igrejas também lhe afeta, mas que diante das circunstâncias é preciso pensar na vida e na esperança.