Polêmicas

13 mulheres acusam pastor da Igreja Getsêmani de abuso sexual

Pastor Jeremias Barroso usava "purificação" como argumento para o assédio, conforme os relatos das vítimas.

Caio Rangel | Publicado em: 03/02/21 às 10:47 Atualizado em 03/02/2021 10:49
13 mulheres acusam pastor da Igreja Getsêmani de abuso sexual
Pastor Jeremias Barroso da Igreja Getsêmani (Reprodução)

O pastor Jeremias Barroso, da Igreja Getsêmani, foi acusado por 13 mulheres de abuso sexual. O religioso é de Macapá, capital do Amapá. Através do seu advogado, o pastor negou as acusações e disse que está sendo vítima de calúnias.

De acordo com a reportagem do UOL, desde o ano passado o caso vinha sendo investigado em sigilo, após uma das vítimas compartilhar com outras mulheres da igreja o que estava acontecendo, e descobrir que outras fiéis também eram abusadas.

No início deste ano, o caso foi remetido ao Ministério Público do estado. Nos próximos dias, o pastor deve ser denunciado à Justiça sob acusação de abuso sexual mediante fraude, com base nos relatos de duas vítimas. As outras denúncias ainda estão sendo investigadas.

“Ele me disse ‘vou fazer uma oração e você vai tocar em todos os lugares que seu ex-namorado te tocou’, exigindo que eu colocasse os dois dedos dentro da minha vagina, a outra mão na minha língua e perguntou se eu estava gostando”, relata uma jovem de 24 anos – e identidade não divulgada – no inquérito instaurado na Delegacia de Crimes Contra a Mulher (DCCM), do Macapá.

O pastor Jeremias Barroso é uma das principais lideranças religiosas do estado, sendo o fundador da Igreja Getsêmani em Macapá. O pastor ficou popular por coordenar a “Marcha para Jesus”.

Entre os relatos, uma das fiéis conta que recebeu do pastor um vídeo em que ele está se masturbando.

O pastor nega as acusações

Maurício Pereira, advogado do pastor, nega as acusações. Ele também buscou desqualificar uma das mulheres que embasam a denúncia, afirmando que ela tem “problemas psicológicos”.

Sobre o vídeo se masturbando, que uma mulher denunciante diz ter recebido de Jeremias, a defesa confirma a autenticidade do conteúdo, mas nega que tenha sido encaminhado a ela.

“O chocante vídeo, que envergonha o senhor Jeremias Barroso, sua família e a igreja que presidia, foi filmado num momento de fracasso espiritual, quando teve um relacionamento extraconjugal por meio virtual. A pessoa a quem dirigiu o referido vídeo, inclusive, testemunhará este fato”, afirma o advogado.

Ainda segundo a defesa, por causa das denúncias, o pastor Jeremias “afastou-se do Ministério Pastoral e da diretoria da igreja enquanto perdurarem as apurações; submeteu-se a um tratamento de restauração espiritual pela Aliança de Pastores; e se abstém de qualquer contato, por qualquer meio com as vítimas e testemunhas do processo”.

 

Pastora “modinha” Renálida Carvalho coloca silicone

Renalida Carvalho realizou uma mamoplastia com prótese de silicone para o aumento dos seios.


Cantor Irmão Lázaro está vivo e respondendo bem ao tratamento

A assessoria do cantor usou as redes sociais para desmentir o boato de que o artista havia morrido, no início da noite desta sexta-feira (26).


Após culto com 1.200 pessoas, MP notifica igreja de Malafaia

Malafaia alega que cumpriu os protocolos contra o contágio da Covid-19, mesmo tendo reunido mais de mil fiéis em um espaço fechado.


Jotta A surge de “drag queen” e web não perdoa

O artista que resolveu sair do armário no ano passado continua surpreendendo e dando o que falar na internet.


Um dia após culto ser interditado, Malafaia reúne milhares de fiéis no PR

O pastor se defendeu dizendo que só haviam 1.200 pessoas, e que o local comportava 3.000 pessoas.