Se torne assinante premium e tenha acesso a conteúdo exclusivo.
 
Curiosidade

Quem são os pastores que usam as redes sociais para debate político?

Os maiores canais desse tipo na web são de pastores conservadores e apoiadores do presidente Bolsonaro.

Caio Rangel | Publicado em: 19/01/22 às 9:54
Quem são os pastores que usam as redes sociais para debate político?
Pastores e influenciadores (Reprodução)

Com milhões de seguidores no YouTube, Facebook, Twitter e Instagram, muitos pastores famosos usam de diversas ferramentas para expor seus posicionamentos políticos. De acordo com um levantamento do Globo, os maiores canais desse tipo na web são de pregadores conservadores e apoiadores do presidente Bolsonaro.

O ranking do Globo traz como primeiro colocado o pastor Claudio Duarte, seguido por André Valadão, Silas Malafaia e Lucinho Barreto. O que todos eles têm em comum são postagens de apoio ao governo e fotos de participação em atos pró-Bolsonaro, como do dia 7 de setembro de 2021.

O pastor André Valadão, por exemplo, frequentemente usa o seu Instagram para falar sobre política. Com 4,8 milhões de seguidores na plataforma, o influenciador usa a caixinha de perguntas da rede social para orientar o seu rebanho.

“Pastor, é pecado ser de esquerda?”, perguntou um internauta. Em tom informal, gravando respostas dentro de um carro, André aconselhou: “A ideologia de esquerda é contra a palavra de Deus. Pode estudar mais um pouco que você vai ver isso”.

Na última semana, o religioso organizou nos Estados Unidos um evento conservador sobre política e religião com transmissão no YouTube. Participaram do evento o jornalista Allan dos Santos e o ministro das Comunicações, Fabio Faria.

Outro nome de peso na lista é o pastor Marcos Botelho, um dos primeiros religiosos a usar as redes sociais (seu canal do Youtube é de 2006), para falar sobre questões políticas com uma postura neutra.

De acordo com Botelho, é inevitável esbarrar na esfera política, quando se reflete sobre os valores bíblicos, o que “não quer dizer que tem que ser partidário ou apoiador de certas pessoas”.

O pastor se define como “nem de esquerda, nem de centro e nem de direita, mas nascido do alto (João 3.3)”. Ele costuma gravar vídeos respondendo dúvidas de seus seguidores, e também denuncia que muitos pastores acabam virando agentes políticos nas mãos de um projeto de poder.

“Usar esse local e a autoridade pastoral para fazer campanhas, indicar políticos e fazer terrorismo espiritual contra o candidato que discorda é aberração bíblica, se chama voto de cajado”, afirma Marcos Botelho.

Também existem pastores que se definem de esquerda, como é o caso do pastor Henrique Vieira, da Igreja Batista do Caminho. O religioso costuma levantar bandeiras em suas redes ligadas à justiça social e aos direitos humanos.

No Instagram do pastor, por exemplo, há publicações de apoio ao Movimento dos Sem Terra (MST), fotos com Lula (PT) e diversas críticas ao presidente Bolsonaro.

“Considero saudável as lideranças religiosas se posicionarem desde que baseado no respeito às diferenças, à democracia e ao Estado laico”, diz Vieira.

Imagem O GLOBO

 

 

“Vai Passar” na voz de Eliane Fernandes ultrapassa 200 milhões de views no YouTube

Sucesso gravado anteriormente na voz de Gerson Rufino, a canção segue atemporal e sendo um hit.


Ex-cantora gospel Priscilla Alcantara desabafa: “Odeio esse governo”

A cantora é mais uma celebridade da Rede Globo que faz questão de dizer que não apoia o presidente Jair Bolsonaro.


Damares Alves detona culto da Igreja Casa: “Apologia à pedofilia”

O culto vai acontecer neste sábado (13), e recebeu o nome de "Vem Novinha", o que gerou a revolta dos evangélicos.


Fim do período sabático? Volta do Oficina G3 agita a web

Às 15 horas desta sexta-feira (12), a banda irá se pronunciar em suas redes sociais, para acabar com todo o suspense.


Igreja Casa anuncia culto “Vem Novinha” e causa polêmica

O nome do culto está dando o que falar nas redes sociais e causando indignação por parte da comunidade evangélica.