Música

Lauriete e Magno Malta tomam decisão inédita em suas carreiras na música gospel

O casal concorre pelo estado do Espirito Santo, e o fato de distribuirem esse CD gratuitamente por lá, pareceu uma estratégia de campanha.

Redação | Publicado em: 25/06/18 às 16:00 Atualizado em 25/06/2018 16:13
Lauriete e Magno Malta tomam decisão inédita em suas carreiras na música gospel
Magno Malta e Lauriete (Reprodução)

A cantora gospel Lauriete em parceria com o seu esposo, o Senador Magno Malta, acabam de divulgar o lançamento de seu mais novo EP.

O álbum tem oito músicas e em breve chegará à todas as plataformas digitais. A novidade, no entanto, é que esse projeto não será comercializado.

A dupla decidiu abençoar o povo do estado do Espirito Santo com esse projeto musical, que já vinha sendo solicitado pelos fãs dos cantores. Antes de mergulhar de vez na política, Magno Malta tinha um ministério como cantor gospel e pastor evangélico atuante.

“Nosso Tributo”, é o título do EP da dupla Lauriete e Magno Malta, que abriu mão de qualquer recurso financeiro que poderiam angariar com a venda do disco.

Lauriete e Magno Malta (Reprodução)

Lauriete e Magno Malta (Reprodução)

Ano eleitoral

Apesar da beleza em distribuir gratuitamente o resultado de um trabalho como este, alguns fãs olham com certa desconfiança tamanha bondade.

Isso porquê, Lauriete concorre novamente a uma cadeira na Câmara dos Deputados, e Magno Malta, decidiu não ser candidato na chapa de Bolsonaro como pretenso vice-presidente, para tentar a reeleição no Senado.

O casal concorre pelo estado do Espirito Santo, e o fato de distribuirem esse CD gratuitamente por lá, pareceu uma estratégia de campanha.

Feliciano ‘desmoraliza’ Rede Globo e revela trama covarde da emissora

Mais uma trama da Rede Globo acaba de ser desarticulada publicamente, e mais uma vez, foi o deputado federal Marco Feliciano (Pode/SP) quem o fez, durante o seu discurso no plenário da Câmara dos Deputados.

Feliciano falou sobre as reportagens exibidas pela emissora, sobre o caso das crianças, filhos de imigrantes, que estão sendo mantidas presas em gaiolas e separados dos pais nos Estados Unidos.

Segundo o deputado, a emissora tenta culpar o presidente norte-americano Donald Trump, por manter as crianças longe dos pais, levando o telespectador a entender que se trata de uma iniciativa do próprio presidente. No entanto, Feliciano explicou que existe uma lei que foi criada em 1997, ainda sob o mandato do então presidente Bill Clinton [Democrata], e seguiu sendo aplicada pelo também democrata Barack Obama nos anos seguintes.

+ De Feliciano à Sóstenes Cavalcante; Veja quanto 10 deputados evangélicos gastaram da cota parlamentar

Segundo Feliciano, não existe nos EUA, uma lei que diga que a criança possa ficar presa junto com o pai e a mãe no mesmo lugar.

O deputado defende ainda, que Donald Trump só está apenas cumprindo a lei que já existe a mais de 20 anos no país. Ele também lembrou que, tanto as crianças, quanto seu pais, não são apenas imigrantes, são imigrantes ilegais.

Além de declarar estar desmentindo a Rede Globo, Feliciano também afirma estar desmentindo os partidos de esquerda, como; PSOL, PT, e PC do B, que estariam disseminando mentiras contra o governo americano.

 

Canção de Fabiana Anastácio bate recorde de views após sua morte

A canção "Adorarei" alcançou o primeiro lugar em várias rádios e ainda hoje é cantada em igrejas por todo o país.


Pastor assembleiano proíbe membros de usarem brincos e correntes

O pastor disse ainda que não cabe argumentos para interpretações no que se refere à doutrina da denominação.


Filme cristão “Deus Não Está Morto 4” estreia 11 de novembro nos cinemas

O longa conta a luta de um grupo de famílias cristãs que optaram por educarem os filhos em casa.


Cantora gospel se prepara para o sétimo casamento

Se o novo relacionamento seguir adiante, a cantora Beatriz poderá subir no altar para se casar pela sétima vez.


Ator de Superman dos anos 90 reprova decisão de tornar o herói bissexual

Para o protagonista de Lois & Clark: As Novas Aventuras do Superman, a DC Comics deveria destacar temas mais relevantes.