Igreja

Assembleia de Deus pode responder criminalmente por ignorar pandemia

O pastor presidente Luiz Gonzaga, também pode responder criminalmente por desrespeitar o isolamento

Caio Rangel | Publicado em: 29/06/20 às 15:15
Assembleia de Deus pode responder criminalmente por ignorar pandemia
Igreja Assembleia de Deus (Reprodução)

O pastor Luiz Gonzaga, presidente da Igreja Assembleia de Deus em Rio Branco, foi notificado junto com a instituição através da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão (PRDC), e do Ministério Público Federal (MPF), com uma representação cívil e criminal.

Constam da representação as notícias que, ao menos em duas oportunidades, a Igreja Assembleia de Deus em Rio Branco (AC) promoveu reunião com mais de 100 pessoas, desrespeitando o Decreto Estadual que veta atividades religiosas presenciais em razão da pandemia de Covid-19. Tal prática, segundo a PRDC, configura, além de crime, ilícito contra a saúde pública.

+ Cantora Daniela Araújo anuncia que está grávida do “namorido”

De acordo com o MPF, estudos de nível internacional apontam atividades religiosas como sendo de alto risco para a disseminação do coronavírus, e o estado do Acre ainda está em plena subida no números de infectados e de mortos.

Os casos devem ser avaliados pelos promotores de Justiça das áreas cível e criminal, a quem os casos serão distribuídos no âmbito do MPAC.

Pastor Luiz Gonzaga (Reprodução)

Pastor Luiz Gonzaga (Reprodução)

 

 

Pastor presidente é detido por pornografia infantil

O líder religioso estava divulgando imagens de pornografia infantil na internet.


Cantor gospel Leonardo Gonçalves será pai pela primeira vez

Leonardo Gonçalves e Glauce Cunha estão casados desde 2018 e vão ser pais pela primeira vez.


Valdemiro Santiago é condenado a indenizar cantor gospel

O líder e fundador da Igreja Mundial do Poder de Deus é acusado de "dar um calote" no cantor gospel Fernando Moreira Campos.


Flordelis irá enfrentar júri popular por determinação da Justiça

A parlamentar responde por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, associação criminosa e uso de documento falso.


Animação da Netflix faz apologia à homossexualidade infantil

Um alerta para os pais evangélicos que deixam os filhos assistirem aos conteúdos infantis disponibilizados na plataforma.