Se torne assinante premium e tenha acesso a conteúdo exclusivo.
 
Sem classificação

É um perigo colocar a foto de perfil com o filtro da bandeira Francesa! Porque…

Micael Batista | Publicado em: 21/11/15 às 0:52 Atualizado em 29/08/2017 23:41
É um perigo colocar a foto de perfil com o filtro da bandeira Francesa! Porque…

El-peligro-de-ponerse-la-foto-de-perfil-con-el-filtro-de-la-bandera-francesa (1)

A proposta do filtro é solidarizar-se com as vítimas do atentado transformando sua foto do perfil em uma imagem que mistura a original com as cores da bandeira da França. Assim, minuto a minuto os usuários vão utilizando a ferramenta, levados pelo choque emocional gerado pelos ataques à capital francesa. É evidente (mesmo não acreditando que seja desejável) que no mundo há muitos mortos de primeira e mortos de segunda, inclusive de terceira e quarta. É até certo ponto compreensível que um cidadão europeu se comova mais com um atentado ocorrido em Paris, que outro em Beirute. Portanto, se prestarmos atenção na cobertura midiática que se faz de um e de outro, seria de estranhar que um cidadão do estado espanhol, por exemplo, será mais afetado por um ataque terrorista no Líbano do que um na França.

A manipulação coletiva por parte dos grandes meios de comunicação é evidente. O silêncio que impera ou a frieza na hora de expor figuras dos mortos quando se trata de um atentado que ocorreu em um lugar conhecido como Mundo Árabe contrasta com o exagero da exposição quando se trata de um atentado em território europeu ou norteamericano. E mesmo que esta estratégia comunicativa seja um modelo de sucesso na hora de criar cidadãos e sociedades de primeira e de segunda, cada vez mais europeus entendem estar sendo manipulados e buscam fugir da influência dos grandes meios, que com sua ação ou falta dela, constroem muros entre sociedades, que parecem intransponíveis. Não obstante, ao se tratar de uma novidade, o filtro do Facebook apresenta um perigo que atinge a maioria dos internautas, especialmente os mais vulneráveis.

Utilizar o filtro do Facebook para solidarizar-se com as vítimas dos atentados em Paris é apoiar uma visão de mundo em que só as mortes de cidadãos ocidentais merecem atenção.Mediante este pequeno gesto, se constrói um muro a mais nesta fortaleza do Século XXI, que é a Europa, cheia de súditos mortos de medo que doam seu senso crítico a empresas e instituições públicas em troca de um pouco de sensação de segurança. No Líbano, no Iraque, no Iran e em qualquer lugar do mundo, quando se lança uma bomba ou um míssil, existem irmãos que sofrem, pais e mães que desmaiam ao saber da notícia, amigos que buscam desesperados pistas para encontrar companheiros de estudo ou trabalho. É compreensível (mesmo não acreditando ser desejável) que um cidadão europeu se preocupe mais com um atentado em Paris, que outro em Beirute. Muitos temos amigos em Paris e os visitamos na cidade, uma ou em várias ocasiões. Mas o Facebook é uma empresa global e com gestos como este, a única coisa que faz é estabelecer uma estrutura hegemônica de prioridades em que os mortos ocidentais preocupam e mobilizam e as vítimas, por exemplo, do atentado de Beirute, há dois dias, simplesmente não importam. Ou nos deram a opção do filtro com a bandeira do Líbano? Fortalecer essa visão de mundo, me parece extremamente perigoso. Mas fazemos isso sem sequer dar-nos conta.

 

Xuxa critica boicote de cantores gospel à Globo

A famosa também sugeriu que apresentadores não recebem mais os artistas gospel em seus programas


“Planalto já foi consagrado a demônios”, afirma Michelle Bolsonaro

A declaração aconteceu em um culto na Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte, neste domingo (07)


Cassiane não é localizada por oficial de justiça e juiz toma decisão

A cantora gospel é ré em processo que responde por Dano ao Erário e Enriquecimento Ilícito


Profeta Roberto Ruiz volta de Jerusalém com novas revelações para o Brasil

O líder da Comunidade Maranata disse estar preparado para compartilhar o que viu em Jerusalém


Artistas gospel estão boicotando a Globo, diz jornalista

No próximo ano a Globo irá lançar a novela "gospel" Vai Na Fé, mas a trama seria só mais uma chacota aos evangélicos